<
atl
bos
bkn
cha
chi
cle
dal
den
det
gsw
hou
ind
lac
lal
mem
mia
mil
min
nop
nyk
okc
orl
phi
pho
por
sac
sas
tor
utah
wsh
Postado em 13 ago 2012 às 23:24
Howard será “apenas” mais um Big Man de elite na história do Lakers

Que Dwight Howard é o mais novo jogador do Los Angeles Lakers, todo mundo já sabe. Na franquia, ele será o pivô dominante da NBA, seguindo os passos de George Mikan, Wilt Chamberlain, Kareem Abdul-Jabaar, Shaquille O’Neal e Kwame Brown. Realmente parece que o Lakers gosta de jogar com grandes pivôs (e o único que […]

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Luiz Fernando Teixeira

Que Dwight Howard é o mais novo jogador do Los Angeles Lakers, todo mundo já sabe. Na franquia, ele será o pivô dominante da NBA, seguindo os passos de George Mikan, Wilt Chamberlain, Kareem Abdul-Jabaar, Shaquille O’Neal e Kwame Brown. Realmente parece que o Lakers gosta de jogar com grandes pivôs (e o único que jogou toda a carreira na franquia foi Mikan), então porque não relembrar suas trajetórias?

George Mikan, conhecido como Mr. Basketball, atuou pela franquia quando ela ainda estava em Minneapolis, de 1947 a 1956 – a mudança para Los Angeles aconteceu em 1959. Com ele sendo o jogador mais importante da defesa na equipe – algo como um Dwight Howard branco e de óculos dando tocos e pegando rebotes em um jogo de basquete feminino –  e aproveitando os seus 2.11m para fazer cestas fáceis, o Lakers conquistou os seus primeiros cinco títulos na NBA (49* ,50,52-54). Suas médias foram de 22.3 pontos e 13.4 rebotes em sete anos de carreira, todos pela franquia – na época ainda não havia a premiação de MVP para os atletas, senão ele teria sido escolhido pelo menos três vezes.

*O título de 1949 foi pela extinta BAA, que se fundiu com a NBL para formar a NBA.

Mikan foi o primeiro pivô dominante da história

Wilt Chamberlain chegou ao Lakers – já em Los Angeles – em 1968, quando já havia sido quatro vezes MVP da liga (60, 66-68) e campeão em 1967 com o Sixers. Ou seja, aos 32 anos seu auge já havia passado, mas mesmo assim foi peça importantíssima no time até a sua aposentadoria em 1973. Com a camisa do Lakers, Wilt teve médias de 17.7 pontos, 19.9 rebotes e 4.3 assistências durante seus cinco anos na equipe. Jogando ao lado de Jerry West e Elgin Baylor, ele aprendeu a duras penas a jogar basquete de forma coletiva, ao invés do jogo individual que praticava até então. Conseguiu ser campeão e MVP das finais na histórica temporada de 1972 – quando Baylor já havia se aposentado – após bater na trave em 1969 e 1970 (dois anos também memoráveis).

Wilt só aprendeu a jogar em equipe no final da carreira

Não muito após a aposentadoria de Wilt, em 1975, o melhor jogador da NBA à época se tornou um Laker: Kareem Abdul-Jabbar, que havia sido campeão e MVP das finais em 1971 com o Milwaukee Bucks (derrotando o próprio Lakers na final da Conferência Leste), e o MVP das temporadas de 71,72 e 74 – em Los Angeles ainda conquistou mais três MVP’s (76,77 e 80) e mais cinco títulos da liga (80, 82, 85, 87 e 88) ao formar uma das duplas mais bem-sucedidas de todos os tempos com Magic Johnson. O inventor do sky-hook, arremesso praticamente impossível de ser bloqueado, e maior cestinha da história da NBA com 38.387 pontos, teve médias de 22.1 pontos, 9.4 rebotes, 4.3 assistências, 2.5 tocos e 56,7% de aproveitamento nos arremessos em 13 temporadas (jogou até os 41 anos).

Com a camisa do Lakers, Kareem se tornou o maior cestinha da NBA

Sete anos após a aposentadoria de Kareem, mais um super-pivô no auge da forma aterrissou em Los Angeles: Shaquille O’Neal. Juntamente com Kobe Bryant e Phil Jackson, ele foi campeão e MVP das finais da NBA por três anos seguidos (00-02), conquistando ainda o prêmio de MVP da temporada em 2000. Porém, ele e Kobe se envolveram em uma disputa de egos que culminou na sua saída da franquia em 2004. Durante seus oito anos com o Lakers, Shaq teve médias de 27 pontos, 11.8 rebotes, 3.1 assistências e 53% de aproveitamento nos lances livres (essa piada nunca vai acabar).

Shaq foi o último pivô dominante da franquia

Por fim, logo após a saída de Shaq, o último pivô importante na história da franquia chegou diretamente do Washington Wizards: Kwame Brown. Sua era em Los Angeles rendeu médias de 7.1 pontos e seis rebotes… Ok, esse parágrafo não é sério. Mas Brown pode sim ser considerado essencial, afinal ele estava presente na troca que  trouxe Pau Gasol para o time, possibilitando os dois títulos mais recentes da franquia. 

Just Kidding

Dwight Howard é considerado o melhor pivô da liga há alguns anos. Aos 26 anos e prestes a iniciar sua nona temporada, pode-se dizer que ele está no auge da forma, tendo médias de 18.8 pontos, 13 rebotes e 2.2 tocos. Já foi eleito três vezes  o melhor defensor da NBA, e liderou o Orlando Magic às Finais em 2009. Será que ele finalmente conquistará um anel?

PS: Menção honrosa para Vlade Divac e Andrew Bynum.

  • Gabriel Alves

    Mt Legal !!! Vcs da JumperBrasil sempre trazendo conhecimento pra gente hehe , espero q o Dwight consiga o tão sonhado anel, pq pra mim ele é o melhor da Liga, sem essa d Lebron ou Durant kkkkkkkkkkkk, The Superman é foda !!!!!

  • RafaelRox

    Assim fica até dificil fazer um time dos mellhores do Lakers de todos os tempos rsrsrsr.

  • Roberto

    Cade o Andrew Bynum?

    • RafaelRox

      o Bynum não foi dominante… o Howard é dominante.. se bem que o Shaq só foi dominante – dominante.. lá pra 2000.

      • michel

        Legal, o Bynum não é dominante, mas o K. Brown é? Só porque ele trouxe o Gasol, não quer dizer que ele foi importante. O Lakers nem gosta do Gasol!! queria se desfazer dele a qualquer custo na temporada passada.

      • http://dreamteamfantasyleague.wordpress.com Raimundo

        Michel, sério que tu nao entendeu a brincadeira do pessoal do Jumper? Ninguem falou que o Kwame foi dominante ¬¬

  • http://blogdecodigo.wordpress.com Bruno Anastacio

    Will Chamberlain e seus 19 rebotes por jogo!!!
    nunca mais veremos isto….

© Copyright Jumper Brasil 2007-2015 - Todos os direitos reservados