<
atl
bos
bkn
cha
chi
cle
dal
den
det
gsw
hou
ind
lac
lal
mem
mia
mil
min
nop
nyk
okc
orl
phi
pho
por
sac
sas
tor
utah
wsh
Postado em 14 ago 2012 às 12:30
Scola avisa: “Essas Olimpíadas não marcam despedida nenhuma”

A derrota para os russos na disputa da medalha de bronze olímpica foi tratada por vários veículos de imprensa como o último jogo da “Geração Dourada” argentina. Mas não tenha tanta certeza disso. Em entrevista após a partida, o ala-pivô Luis Scola fez questão de negar que Londres tenha sido o último palco do lendário […]

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Ricardo Stabolito Jr.

A derrota para os russos na disputa da medalha de bronze olímpica foi tratada por vários veículos de imprensa como o último jogo da “Geração Dourada” argentina. Mas não tenha tanta certeza disso. Em entrevista após a partida, o ala-pivô Luis Scola fez questão de negar que Londres tenha sido o último palco do lendário grupo.

“Essas Olimpíadas não marcam despedida nenhuma”, garantiu o jogador, que reforçará o Phoenix Suns na próxima temporada da NBA. Apesar das palavras convictas, Scola admitiu que ainda não teve a oportunidade de conversar com todos os atletas do atual elenco argentino –incluindo o ala-armador Manu Ginobili.

Sobre a perda da medalha, o ala-pivô não negou que estivesse decepcionado, mas ressaltou o prazer de atuar ao lado dos companheiros de seleção. “Foi uma desilusão, porque estivemos muito perto do prêmio. Deixo Londres triste, porém com a cabeça erguida. É uma honra perder defendendo essa camisa e ao lado desses jogadores”, afirmou.

Apenas cinco atletas medalhistas de ouro em Atenas-2004 estiveram na campanha dos Jogos deste ano. Projetando a idade do quinteto nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, percebe-se que reuni-los para mais um ciclo olímpico será muito difícil. Carlos Delfino, mais jovem de todos, estará com 33 anos. Em seguida, vem Scola (36), Andres Nocioni (36), Léo Gutierrez (38) e Ginobili (39).

A possibilidade mais racional é que os cinco jogadores voltem a se reunir em 2014, no Campeonato Mundial. Assim, a verdadeira despedida da “Geração Dourada” aconteceria na Espanha, país-sede do torneio.

  • RafaelRox

    Díficil a Argentina ter outro Ginobili da vida… sendo que não conseguiu fazer nem outro Oberto. Mas espero que apareçam jogadores e Argentina tanto quanto brasil consiguam manter como grandes times de basquete.
    Mas eu acho que seleções da america central como Rep.Dominicana, Porto Rico devem ficar a frente com o tempo, pois revelam bem melhor.. e tem basquete correndo como sangue nas veias “minha opinião”.

  • Harley

    Na minha opinião, quanto mais tempo eles seguirem na seleção argentina, mais eles atrapalham a renovação.

    • Rodrigo

      Mais atrapalham a seleção brasileira também rs

© Copyright Jumper Brasil 2007-2015 - Todos os direitos reservados