<
atl
bos
bkn
cha
chi
cle
dal
den
det
gsw
hou
ind
lac
lal
mem
mia
mil
min
nop
nyk
okc
orl
phi
pho
por
sac
sas
tor
utah
wsh
Postado em 24 ago 2012 às 17:15
Eles não tinham bolas de cristal – parte 2

Na primeira parte deste artigo, acompanhamos o time mais azarado da década de 70 em relação às trocas envolvendo escolhas de Draft, o San Francisco/Golden State Warriors. A partir de agora vamos refrescar a memória: as duas grandes dinastias da década de 80 tiveram alguns dos seus jogadores mais importantes selecionados em drafts, mas as […]

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Luiz Fernando Teixeira

Na primeira parte deste artigo, acompanhamos o time mais azarado da década de 70 em relação às trocas envolvendo escolhas de Draft, o San Francisco/Golden State Warriors. A partir de agora vamos refrescar a memória: as duas grandes dinastias da década de 80 tiveram alguns dos seus jogadores mais importantes selecionados em drafts, mas as escolhas eram mesmo delas?

Los Angeles Lakers

O jogador símbolo do Lakers na década de 80 não pode ser outro: Earvin “Magic” Johnson. O – opinião pessoal – melhor armador de todos os tempos foi selecionado pela equipe de Los Angeles na primeira escolha geral do draft de 1979. Com a camisa do Lakers, Magic foi cinco vezes campeão da NBA (80, 82, 85, 87 e 88), três vezes MVP das Finais (80, 82 e 87), três vezes MVP da temporada regular (87,89 e 90), duas vezes MVP do All-Star Game – do qual participou doze vezes – além de ter sido escolhido nove vezes para o time ideal da liga.

Em treze anos de carreira, encurtada devido à descoberta do HIV em seu organismo, ele obteve médias de 19.5 pontos, 11.2 assistências e 7.2 rebotes, em 905 jogos. Mas… nada disso poderia ter acontecido se a sua escolha de primeira rodada em 1979 fosse do time original, o New Orleans Jazz!

O Lakers obteve essa pick (e mais as escolhas de primeira rodada de 77 e 78 e uma de segunda rodada de 80) porque em 1976 o Jazz contratou Gail Goodrich, jogador que fora campeão da NBA em 1972 com o Lakers. De acordo com as regras da época, o Jazz deveria oferecer algo em troca de Goodrich, para compensar o Lakers da perda de seu jogador. Assim foi arquitetada essa troca, que também mandou para New Orleans uma escolha de primeira rodada de 1978 e outra de segunda rodada de 1977 da franquia californiana.

Para o azar do Jazz, Goodrich, que viera para formar dupla de perímetro com Pete Maravich, lesionou o tendão de Aquiles, e não voltou mais à forma de antes, se aposentando em 1979 com médias de 14.2 pontos e 4.5 assistências com a camisa da franquia. 

Outro grande responsável pelo sucesso do Lakers na década de 80, James Worthy foi a primeira escolha do draft de 1982 – quando Magic já tinha dois títulos. Worthy foi três vezes campeão da NBA, MVP das finais de 1988 e sete vezes escolhido para o All-Star Game. Mas como o Lakers tinha a primeira escolha no Draft de 1982 se tinha acabado de ser campeão?

A pick que resultou no ala originalmente pertencia ao Cleveland Cavaliers, e foi adquirida em 1980 juntamente com Butch Lee, em troca de Don Ford e da escolha de primeira rodada da equipe em 80. Lesões forçaram Lee – o primeiro jogador porto-riquenho na NBA – a se aposentar no mesmo ano em que chegou a Los Angeles. Já Ford atuou pelo Cavs por apenas duas temporadas até ser dispensado, e teve médias de 3.5 pontos e 2.4 rebotes nas 158 partidas disputadas.

Assim, dois dos principais jogadores do Lakers na década mais vitoriosa da franquia foram adquiridos “por acaso” e com muita sorte, afinal, eles já tinham o melhor pivô da liga durante quase duas décadas – Kareem Abdul-Jabbar. Os dirigentes do Cavaliers e do Jazz devem se lamentar dessas trocas até hoje.

Na terceira parte da série, acompanharemos a outra grande dinastia da década, o Boston Celtics.

 

 

 

  • RafaelRox

    Hehehe e quem diria que a troca do Vlade Divac a a um tempão atras do Lakers seria o que sustentou a equipe como grande até hoje .

    • Luiz Fernando Teixeira

      A troca do Vlade Divac pelos direitos do Kobe foi planejada, ele não foi parar no Lakers por acaso.

  • lucas

    pra MIM, magic johnson é o maior de todos os tempos, opiniao pessoal, n venham brigar, pelo amor de deus.

    • Renan Pereira

      Somos 2!

    • Gabriel Alves

      3… as assitências dele eram inacreditaveis…

  • http://jumperbrasil.com/2012/08/24/brook-lopez-acredita-que-nets-e-candidato-ao-titulo/ Ramon

    Aleluia vão falar de um time grande . BOSTON CELTICS !

    • Anônimo

      ha ha ha muito boa essa piada haaaaaaaaaaaa

  • Dedé

    Magic J era espetacular, mas Jordan é o Rei!!!!!!!!!!!!!!!

  • Davidson

    Na minha opinião, Magic é o maior de todos tempos, uma pena ele ter encerrado a carreira precocemente devido ao HIV.

  • Davidson

    Vcs vão falar do museu de Boston??? hahaha

    • Digor

      Tem que ter museu mesmo, como guardar tantos títulos e história, tem que ser em local próprio….kkkkkkkkk go celtics

  • Davidson

    E tem algo novo nesse museu?Tem mais alguma coisa depois da decada de 80? Só 2008? haha Lets go Lakers!

    • http://jumperbrasil.com/2012/08/27/anthony-davis-quer-ganhar-os-premios-de-calouro-e-defensor-do-ano/ Ramon

      Paul Pierce manda lembranças por 2008 hahaha’
      Chupa Laker fã

      • Davidson

        Hum, Kobe Bryant também manda lembranças por 2010 hahaha. Alias, reze, ore, acenda vela, para o Lakers não ganhar esse ano, pois vamos passar vcs em questão de títulos logo logo. Lets go Lakers!

  • Davidson

    Mas em relação a matéria, muito legal esse artigo”eles não tinham bolas de cristal”. Parabéns ao Jumper Brasil!

    • Luiz Fernando Teixeira

      Muito obrigado, Davidson.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2015 - Todos os direitos reservados