Blogs/Boston Celtics/Brooklyn Nets/Denver Nuggets/Destaque/Leitura de Jogo/Los Angeles Lakers/Miami Heat/Notícias/Philadelphia 76ers

Prólogo da temporada 2012-13 – Parte 1


Por Henrique Lima

A maior mudança da temporada que irá começar na NBA, com certeza, será assistir Steve Nash e Dwight Howard jogando em Los Angeles. Depois de tantas temporadas no Phoenix Suns, o veterano armador canadense ainda tem fôlego para ser providencial em uma corrida pelo título por parte da equipe angelina, que terá ainda o superpivô Howard –após longa novela, fora do Magic.

Com os dois atletas e ainda os trabalhos de Pau Gasol, Kobe Bryant, Ron Artest (Metta World Peace), Antawn Jamison, entre outros, o Lakers (ao menos no papel) é novamente o time a ser batido dentro da liga.

Outras mudanças interessantes são os casos de Jason Terry (que saiu do Dallas após uma década para ir para Boston), Joe Jonhson (grande nome do elenco do Atlanta e, agora, no novato Brooklyn Nets), Ray Allen (se juntou ao campeão Miami Heat), Andrew Bynum (que foi para Philadelphia) e Andre Ioguodala (do 76ers para Denver).

Estes movimentos garantem novas emoções à liga, principalmente se tratando de atletas de renome que mudam o panorama das partidas. Mas o que muda dentro de quadra?

No Lakers, desde a queda física e técnica de Derek Fisher, o time não tinha um armador de confiança, que pudesse fazer a equipe rodar um ataque de forma efetiva e sem a necessidade de forçar tantos arremessos desequilibrados. Nash terá pela frente um ataque com tantas opções, que é impossível achar que dará errado. Porém, Mike Brown terá que se desdobrar para melhorar o que apresentou até aqui na liga: ofensivas pobres e previsíveis. Dwight traz ao Lakers recursos para dominar o garrafão defensivo e, claro, a opção de ter um desequilíbrio da defesa adversária pelas dobras que deverão ocorrer no pivô.

Porém, a discussão sobre Kobe Bryant jogar sem a bola nas mãos vai ocorrer (e muito) durante toda a temporada e a cada derrota do time angelino. O veterano ala-armador não é o melhor exemplo em servir os companheiros, mas, inegavelmente, é um sujeito que quer ser campeão (às vezes, pelo caminho que considero mais árduo).

Em Boston, Terry vem ocupar a vaga da Ray Allen. Como é um pouco mais novo deverá ter uma condição melhor para os 82 jogos, uma vez que “Ray Ray” se tornou nas últimas temporadas apenas um especialista de longa distância – tendo perdido boa parte de sua explosão e saltos em direção ao aro.

Joe Johnson formará com Deron Williams uma baita dupla de armação. Embora com um contrato discutível, Johnson é um ala-armador refinado, que tem bom passe, seleção de arremesso, visão de jogo e controle corporal. Sabe jogar um basquetebol de alto nível e é um cara que coopera dentro do grupo. Acredito que dentro das opções possíveis, o Nets conseguiu um bom atleta para a equipe.

Na fase atual da carreira de Ray Allen, apenas os chutes de longa distância e a frieza para as bolas difíceis o mantém na elite. Porém, com problemas físicos, o jogo defensivo do armador se foi, assim como boa parte dos seus outros recursos ofensivos. Para o Heat, ter um ala-armador que poderá fechar os jogos como Allen já é por si só um trunfo, pois, na equipe da Florida, ele poderá atuar menos tempo (e ser poupado como não seria em Boston).

Em que pese a saída do defensor e voluntarioso lateral, Andre Iguodala, Philadelphia recebe Andrew Bynum na troca que enviou Dwight Howard para Los Angeles. Ele é um pivô muito forte, com jogo sólido nas duas quadras e deve suprir o principal problema da ultima temporada do 76ers: os pontos fáceis próximos do aro. A franquia tem um problema crônico em não conseguir pontuar em momentos críticos dos jogos de uma forma mais consistente.

Com Bynum, é possível que o jogo dos outros atletas também suba de produção, uma vez que espaços extras irão ocorrer motivados pelas dobras defensivas em cima do pivô. Neste cenário, podemos ter um ataque mais eficaz sem perdas para a defesa, já que o homem de garrafão consegue defender com qualidade. A questão crucial será sempre a parte física. Até quando Andrew ira resistir sem lesões? 76ers ainda trouxe Dorell Wright para compor o elenco.

Andre Iguodala chega com a missão de elevar o nível do Nuggets. No entanto, esta missão – acredito – tem grandes riscos de dar errado, uma vez que o jogo de Iggy (embora completo nas duas quadras) não é de um atleta de primeira grandeza, de um cara que possamos esperar uma melhora drástica em um time candidato a algo. Em Philadelphia, ele provou por diversas vezes ser um grande jogador, mas é um atleta que seria ideal para completar uma superestrela e não para ser o guia da companhia. Está mais para o carregador de piano do que para o solista.

Dessa forma, Denver contará com mais um lateral, entre os tantos que já tem. No fim das contas, é um bom movimento, mas não determinante.

Na próxima parte desta análise, a ser postada nesta quinta-feira (06), vou analisar individualmente vários dos movimentos feitos pelas franquias da liga. De Jason Richardson a C.J. Miles, de Chris Kaman a Jerryd Bayless. Enquanto isso, deixe seu comentário para discutirmos. Por ora, essa é a minha leitura do jogo.


27 thoughts on “Prólogo da temporada 2012-13 – Parte 1

  1. Ricardo vc acha que essa temporada sera mais emocionante, ou os times terão um tempo para se adaptar as mudanças?? abraços e boa analise

  2. Sem dúvida alguma, a temporada 2012/2013 tende a ser a mais emocionante dos últimos 5 anos. Temos franquias tradicionais como Lakers e Celtics que podem chegar pela força e tradição, o Miami Heat (do sempre perigoso LeBron James), o novo Nets ( Deron + Joe Johnson + Lopez + Wallace) pode dar trabalho também. Sem esquecer do Bulls que tem um garrafão forte com Noah e Boozer… Em suma, existem pelo menos 8 franquias que podem chegar. Se o Lakers encaixar, só o LeBron poderá parar.

  3. Mestre, sempre aprendendo um pouco mais sobre o basquetebol com vc! Vc acha, pela sua leitura de jogo, que o Lakers, agora com os reforços será o time pra deter o Heat em busca do bi??? Ou faltará entrosamento pra essa turma Angelina contra os três tenores de Miami, junto agora com Ray Ray??? O que acha??? Abraços e sempre seguindo meu mestre!!! Abraçosss

  4. vai ficar entre Oklahoma, Miami e Lakers de novo…os outros times estão MUITO atras desses 3, a final da conferencia Oeste entre Lakers e OKC será épica

    • Não esquece que no oeste tem o Spurs também que, apesar de não fazer barulho sempre tá chegando e ano passado Celtics e Heat foi até o jogo 7. A temporada promete.

      • Acho que vai ser uma zebra muito grande se a final não for MIAMI X LA!!!!!!!!!!!!!!!!!TODOS ESPERAM ISSO!

  5. Ño leste Bulls e Boston podem parar o Heat por terem times muito mais completos. Agora na Oeste diferente do outros acho que um Spurs dará muito mais trabalho para o LA que o Thunder. Os muleques não aguentarão parar Nash, Kobe e DWT. Isso aqui eu cravo, e acabará acarre tando a saida de Harden .

    E podemos prever, mas como no ultimos tempos vem nós mostrando, sempre terá um time que não colocaremos e chegará muito forte. Grande exemplo: 2011 Ninguém colocaria nem Bulls nem Dallas brigando e deu no que deu !

    Ano passado nem se comentava dos Celtcs e Spurs, e deu no que deu !
    Times que são coperos por mais que não estejam no mesmo nível merecem muito respeito.

    Atenção com : Spurs, Bulls e Celtcs. Chegam e muito forte!

    • bulls mais completo que o heat aonde cara? o banco do heat melhorou muito, só por tem um jogador do nivel do allen, tem ainda o lewis, haslem, miller, BATTIER, etc e o bulls ta sem rose só por causa disso o heat e mais completo… alem dos outros fatos que citei

  6. Spurs dede de 1998 é forte… !
    A unica coisa que eu não achei legal no Lakers foi a permanencia do Gasol… acho que ele pode estragar a equipe… porque ele é muito lento e soft no garrafão, mais vai que ele inicia o campeonato pra manter o lakers bem… ae quando Howard melhorar… ele va e é trocado.. seria uma boa.

  7. ta cheio de mae dina aqui no recinto. seremos campeoes p desespero da turma anti. essa hr os foruxos de miami ja estao tremendo. vamo engolir. rumo ao 17 anel

  8. Essa temporada promete ser a melhor…… muitos times novos… outros revitalizados… poucos times de merda… como Orlando e Bobcats(esse que promete ser menos pior) rsrsrsr.
    Tem que ser melhor né porque a temporada pós Lockout foi bem fraquinha…

  9. Bom pessoal, como vcs tem sido muito óbvios nos palpites, vou colocar o meu Wolves como sendo a grande surpresa desta temporada… Ñ sei se pra título, mas q brigaremos pela final de conferencia, isto é certeza… Go WOLVES !!!

  10. Há tempos acompanho as postagens do Jumper Brasil e os respectivos comentários de toda galera, mas nunca deixo minha opnião. Entao resolvi sair do ” anonimato”… rsrs
    Bem, dito isso, será que só eu no mundo acho que guardadas as devidas proporções, o Iguodala e um Pippen a espera de seu MJ? Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s